Portal Ecclesia
A Igreja Ortodoxa Atualizações e notícias Seleção de textos Subsidios homiléticos para Domingos e Grandes Festas Calendário litúrgico bizantino Galeria de Fotos Seleção de ícones bizantinos Clique aqui para enviar-nos seu pedido de oração Links relacionados Clique para deixar sua mensagem em nosso livro de visitas Contate-nos
 
 
Loading
Suplemento Litúrgico para os Domingos e Grandes Festas Terça-feira, 1º de Janeiro de 2019:
 
 
 

«A Circuncisão de nosso Senhor
Deus e Salvador Jesus Cristo»

Memória de São Basílio, o Grande -
Arcebispo de Cesaréia na Capadócia († 379).

(Liturgia de São Basílio, o Grande)

Matinas

Evangelho

[Jo 10: 1-9]

Evangelho de Jesus†Cristo, segundo o Evangelista São João

aquele tempo, Jesus propôs-lhes esta parábola: «Em verdade, em verdade vos digo: quem não entra pela porta no aprisco das ovelhas, mas sobe por outra parte, esse é ladrão e salteador. Mas o que entra pela porta é o pastor das ovelhas. A este o porteiro abre; e as ovelhas ouvem a sua voz; e ele chama pelo nome as suas ovelhas, e as conduz para fora. Depois de conduzir para fora todas as que lhe pertencem, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz; mas de modo algum seguirão o estranho, antes fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos. Jesus propôs-lhes esta parábola, mas eles não entenderam o que era que lhes dizia. Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo: eu sou a porta das ovelhas. Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não os ouviram. Eu sou a porta; se alguém entrar a casa; o filho fica entrará e sairá, e achará pastagens».

Divina Liturgia

Issodikon

Vinde, adoremos e prostremo-nos ante o Cristo!

Salva-nos, ó Filho de Deus,
Tu que foste circuncidado na carne,
a nós que a Ti cantamos: Aleluia!

Apolitikion

Tu, que estás sentado nas alturas em um trono de fogo,
com teu Pai eterno e teu Espírito Divino,
quiseste nascer na terra de tua Mãe, a Virgem que não conheceu varão.
Por isso foste também circuncidado como homem no oitavo dia.
Glória, pois, aos teus bondosos desígnios; glória à tua economia;
glória à tua condescendência, ó único Filântropo!

Outro Apolitikion da Festa (Modo 1)

Ó Senhor misericordioso, Tu que és Deus por natureza,
tomaste sem alteração uma forma humana
e cumpriste a lei recebendo voluntariamente a circuncisão da carne,
a fim de abolir as figuras e eliminar as trevas de nossas paixões.
Glória pois, à tua bondade, glória à tua misericórdia;
glória, ó Verbo, à tua indizível condescendência!

Apolitikion de São Basilio

A tua voz se espalhou por toda terra que aceitou a tua palavra,
pela qual explicaste divinamente as verdades dogmáticas,
esclareceste a natureza dos seres e ordenaste os costumes.
Ó Pai justo, revestido do sacerdócio real,
roga a Cristo Deus pela salvação de nossas almas!

Kondakion da Festa

O Senhor de todos recebe a circuncisão
e, em sua bondade, corta as faltas dos mortais
e concede hoje a salvação ao mundo.
Alegra-se também nas alturas o pontífice do Criador,
o astro luminoso, o íntimo de Cristo, o divino Basílio.

Kondakion de São Basilio

Foste um sustentáculo firme para a Igreja
e fizeste de teu poder um abrigo para todos nós,
confirmando-nos por teus ensinamentos,
ó justo Basílio, esclarecedor dos mistérios celestes.

Prokimenon

Minha boca dirá palavras sábias,
e meu coração aplicar-se-á à sabedoria.

Ouvi isto, todas as nações;
estai atentos, vós todos que habitais a terra!

Epístola

[Cl 2: 8-12]

Epístola do Apóstolo São Paulo aos Colossenses

rmãos, tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo; porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade; e estais perfeitos nele, que é a cabeça de todo o principado e potestade; no qual também estais circuncidados com a circuncisão não feita por mão no despojo do corpo dos pecados da carne, pela circuncisão de Cristo; sepultados com ele no batismo, nele também ressuscitastes pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos.

Aleluia

Escuta, ó Pastor de Israel,
tu que conduzes José como a uma ovelha:

A boca do justo fala sabedoria
e a sua língua exprime o que é reto.

Evangelho

[Lc 2: 20-21, 40-52]

Evangelho de Jesus†Cristo, segundo o Evangelista São Lucas

aquele tempo, voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes fora dito. Quando se completaram os oito dias para ser circuncidado o menino, foi-lhe dado o nome de Jesus, que pelo anjo lhe fora posto antes de ser concebido. E o menino ia crescendo e fortalecendo-se, ficando cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele. Ora, seus pais iam todos os anos a Jerusalém, à festa da páscoa. Quando Jesus completou doze anos, subiram eles segundo o costume da festa; e, terminados aqueles dias, ao regressarem, ficou o menino Jesus em Jerusalém sem o saberem seus pais; julgando, porém, que estivesse entre os companheiros de viagem, andaram caminho de um dia, e o procuravam entre os parentes e conhecidos; e não o achando, voltaram a Jerusalém em busca dele. E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, sentado no meio dos doutores, ouvindo-os, e interrogando-os. E todos os que o ouviam se admiravam da sua inteligência e das suas respostas. Quando o viram, ficaram maravilhados, e disse-lhe sua mãe: Filho, por que procedeste assim para conosco? Eis que teu pai e eu ansiosos te procurávamos. Respondeu-lhes ele: Por que me procuráveis? Não sabíeis que eu devia estar na casa de meu Pai? Eles, porém, não entenderam as palavras que lhes dissera. Então, descendo com eles, foi para Nazaré, e era-lhes sujeito. E sua mãe guardava todas estas coisas em seu coração. E crescia Jesus em sabedoria, em estatura e em graça diante de Deus e dos homens.

Hirmos

Ó Cheia de Graça, em ti rejubila-se toda a criação.
A assembléia dos Anjos e o gênero humano te glorificam,
ó templo santificado, paraíso espiritual e glória das virgens,
na qual Deus se encarnou e da qual tornou-se Filho
Aquele que é nosso Deus antes dos séculos;
porque fez de teu seio um trono
e as tuas entranhas, mais vastas do que os céus.
Ó Cheia de Graça, em ti rejubila-se toda a Criação e te glorifica!

Kinonikon

Louvai o Senhor do alto dos céus! Aleluia, aleluia, aleluia!

Obs.:

Na Bênção final o sacerdote acrescenta: «Que aquele que, no oitavo dia, quis ser circuncidado na carne para a nossa salvação, o Cristo nosso verdadeiro Deus...»

A Circuncisão de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo

arra o Evangelho que após 8 dias do nascimento de Jesus, Maria e José levaram o Menino ao Templo para oferecê-lo a Deus e cumprir o preceito da circuncisão, conforme prescrevia as leis do povo judeu. Após a primeira parte da narrativa, observa-se um corte cronológico na harmonia dos acontecimentos, para destacar o encontro de Jesus com os Doutores da Lei, no Templo de Jerusalém.

Essas duas narrativas unidas, a princípio, tão distantes temporalmente e tão próximas quanto ao objetivo de sublinhar a dupla natureza do Messias, se fundem numa leitura única. O menino foi levado para circuncisão, pois era plenamente humano e estava sujeito às leis sócio-religiosas; no entanto, com 12 anos revelava sua sabedoria extraordinária que vinha de uma fonte não humana. Ele era o VERBO de Deus que inicia suas reflexões com aqueles mais ilustres e doutos. «O mundo foi feito por Ele, mas o mundo não O conheceu» (Jo 1:10-11).

Primeiramente, Jesus tinha sido reconhecido como Senhor pelos pastores que vieram prestar-lhe adoração. Eles representavam os marginalizados, pobres, os esquecidos: os verdadeiros destinatários da Boa-Nova. Depois foi reconhecido pelo profeta Simeão, no templo, onde a profecia de Malaquias se cupria: «De repente, vai chegar ao Templo o Senhor que vós procurais, o mensageiro da Aliança que vós desejais» (Mq 3,1). Simeão revelou com a sua profecia que a Salvação não seria só para Israel, mas para todos os povos. Israel foi o lugar da espera e da realização das profecias, mas a Salvação trazida pelo Messias não se restringiria somente à sua área geográfica. O messias é a luz que ilumina a todos os povos. Abre-se o horizonte universal do anúncio e da prática do Evangelho.

A Igreja também recorda hoje, no primeiro dia do ano, São Basílio, o Grande, pai da Igreja, santo da Patrística que deixou para a história eclesiástica ricos tesouros expressos em textos litúrgicos e maravilhosas homilias e meditações até hoje estudados. São Basílio, na Igreja do Ocidente, é lembrado no dia posterior ao do calendário litúrgico bizantino. Ele é um dos grandes santos da Igreja Primitiva; da Igreja indivisa.

As coleções litúrgicas bizantinas apresentam três anáforas, uma das quais é atribuída a São Basílio, usada em liturgias muito especiais, devido a sua profundidade teológica e extensão dos textos. Existe também uma anáfora Alexandrina mais breve de São Basílio, em grego, copta, árabe e etíope. As versões siríaca, Armênia, georgiana, eslava e uma outra versão árabe seguem a fórmula bizantina, anterior aos manuscritos gregos.

São Basílio adormeceu em Cristo em 1º de janeiro de 379, na Cesaréia de Capadócia.

São Gregório Nazianzeno e Gregório de Nissa proferiram brilhantes elogios em seu funeral que influenciaram a sua hagiografia.

Fontes:

BERARDINO, Angelo. Dicionário Patrístico e das Antiguidades Cristãs. Petrópolis: Ed. Vozes e Paulus, 2002.
STORNIOLO, Ivo. Como Ler o Evangelho de Lucas. São Paulo. Ed. Paulus, 1992.

 

Voltar à página anterior Topo da página  
NEWSIgreja Ortodoxa • Patriarcado Ecumênico • ArquidioceseBiblioteca • Sinaxe • Calendário Litúrgico
Galeria de Fotos
• IconostaseLinks • Canto Bizantino • Synaxarion • Sophia • Oratório • Livro de Visitas