Portal Ecclesia
A Igreja Ortodoxa Atualizações e notícias Seleção de textos Subsidios homiléticos para Domingos e Grandes Festas Calendário litúrgico bizantino Galeria de Fotos Seleção de ícones bizantinos Clique aqui para enviar-nos seu pedido de oração Links relacionados Clique para deixar sua mensagem em nosso livro de visitas Contate-nos
 
 
Loading
Suplemento Litúrgico para os Domingos e Grandes Festas  Quinta-feira, 21 de novembro de 2019:
 
 
 

«Entrada da Santíssima Virgem Maria,
a Theotokos, no Templo»

Matinas

Evangelho

[LC 1: 39-49, 56]

Evangelho de Jesus†Cristo, segundo o Evangelista São Lucas.

aquele dias, Maria pôs-se a caminho para a região montanhosa, dirigindo-se apressadamente a uma cidade de Judá. Entrou na casa de Zacarias e saudou Isabel. Ora, quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança lhe estremeceu no ventre e Isabel ficou repleta do Espírito Santo. Com um grande grito, exclamou: "Bendita és tu entre as mulheres e bendito o fruto de teu ventre! Donde me vem que a mãe do meu Senhor me visite? Pois quando tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria em meu ventre. Feliz aquela que creu, pois o que lhe foi dito da parte do Senhor será cumprido!" Maria, então, disse: "Minha alma engrandece o Senhor, e meu espírito exulta em Deus, meu Salvador, porque olhou para a humilhação de sua serva. Sim! Doravante as gerações todas me chamarão de bem-aventurada, pois o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. Seu nome é santo. Maria permaneceu com ela mais ou menos três meses e voltou para casa.

 

Divina Liturgia

Apolitikion (Modo 4º)

Hoje é o prelúdio da benevolência de Deus
e a proclamação preliminar da salvação dos homens.
A Virgem apresenta-se com esplendor no Templo de Deus
e antecipadamente anuncia Cristo a todos.
A ela nós também clamamos em alta voz:
"Salve , ó realização da economia do Criador!"

(Em grego)

Σήμερον της ευδοκίας Θεού το προοίμιον,
και της των ανθρώπων σωτηρίας ή προκήρυξις,
εν Ναώ του Θεού τρανώς ή Παρθένος δείκνυται,
και τον Χριστόν τοις πάσι προκαταγγέλλεται.
Αυτή και ημείς μεγαλοφώνως βοήσωμεν,
Χαίρε της οικονομίας του Κτίστου ή εκπλήρωσις.  

Kondakion (Modo 4º)

O templo puríssimo do Salvador, a Virgem,
a preciosíssima câmara nupcial,
o sagrado tesouro da glória de Deus
é apresentada hoje à Casa do Senhor,
introduzindo com ela a graça do Espírito Divino.
Os anjos de Deus a louvam clamando:
"Esta é o tabernáculo celeste!"

Prokimenon

Minha alma glorifica o Senhor,
meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador.

Porque voltou seus olhos para a humildade de sua serva;
doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada

Epístola

[HB 9: 1-7]

Epístola aos Hebreus.

rmãos, também a primeira aliança tinha, com efeito, ritual para o culto e santuário terrestre. Pois instalou-se uma tenda - a primeira tenda -, chamada Santo, onde se encontrava o candelabro, a mesa e os pães da proposição. Por detrás do segundo véu havia outra tenda chamada Santo dos Santos, com o altar de ouro para os perfumes, a arca da aliança toda recoberta de ouro e, nesta, o vaso de ouro com o maná, o bastão de Aarão que florescera e as tábuas da aliança; por cima da arca, os querubins da glória cobriam com sua sombra o propiciatório. Todavia, não é o momento de falar disso nos pormenores. Estando as coisas assim dispostas, os sacerdotes entram a qualquer momento na primeira tenda para realizar o serviço o Sumo Sacerdote, e somente uma vez por ano; e isso não acontece sem antes oferecer sangue por suas faltas e pelas do povo. O Espírito Santo quis mostrar, com isso, que o caminho do santuário não está aberto enquanto existir a primeira tenda. Há nisso um símbolo para o tempo de agora. Pois naquele regime apresentam-se oferendas e sacrifícios sem eficácia para aperfeiçoar a consciência de quem presta o culto. Tudo são ritos carnais referentes apenas aos alimentos, às bebidas, às abluções diversas e impostos somente até o tempo da correção.

Aleluia

Ouve, filha, vê e inclina o teu ouvido
esquece o teu povo e a casa de teu pai.

A filha de Tiro e os ricos do povo
imploram teu favor com seus presentes

Evangelho

[LC 10: 38-11: 28]

Evangelho de Jesus†Cristo, segundo o Evangelista São Lucas.

aquele tempo, estando Jesus em viagem, entrou num povoado, e uma mulher, chamada Marta, recebeu-o em sua casa. Sua irmã, chamada Maria, ficou sentada aos pés do Senhor, escutando-lhe a palavra. Marta estava ocupada pelo muito serviço. Parando, por fim, disse: "Senhor, a ti não importa que minha irmã me deixe assim sozinha a fazer o serviço? Dize-lhe, pois, que me ajude". O Senhor, porém, respondeu: "Marta, Marta, tu te inquietas e te agitas por muitas coisas; no entanto, pouca coisa é necessária, até mesmo uma só! Maria, com efeito, escolheu a melhor parte, que não lhe será tirada". Enquanto ele assim falava, certa mulher levantou a voz do meio da multidão e disse-lhe: "Felizes as entranhas que te trouxeram e os seios que te amamentaram!" Ele, porém, respondeu: "Felizes, antes, os que ouvem a Palavra de Deus e a observam".

Hirmos

Os Anjos, vendo a entrada da Puríssima,
admiraram-se de como a Virgem entrou no Santo dos Santos.
Que nenhuma mão profana a toque, ela, a Arca viva de Deus;
mas que os lábios dos fiéis cantem sem cessar à Mãe de Deus,
a saudação do Anjo, clamando com entusiasmo:
«Ó Virgem Pura, és, realmente, a mais elevada de todas as criaturas!»

«Entrada da Santíssima Virgem Maria no Templo»

s justos Joaquim e Ana, mesmo antes do nascimento de sua filha Maria, tinham prometido dedicar a Deus a criança que Ele lhes havia concedido. Quando a Santíssima Virgem Maria era ainda uma jovem menina, eles a levaram ao Templo, acompanhada por virgens com lamparinas, e a colocaram no primeiro degrau da escada. De acordo com a antiga tradição, Maria subiu os quinze degraus do Templo sozinha. No topo da escada o sumo sacerdote a encontrou e, cheio do Espírito Santo, conduziu-a não só até o altar, mas mesmo até o Santo dos Santos onde, de acordo com a Lei, o próprio sumo sacerdote só podia entrar uma vez por ano. O povo ficou assombrado com essa entrada, e os anjos de Deus maravilharam-se também.

Os Cristãos celebram esse evento em 21 de novembro como um portento de reconciliação do homem com Deus através do poder de Cristo. [1]

Esta festa litúrgica é celebrada nas Igrejas do Oriente desde o século VI, quando foi inaugurada uma igreja na cidade de Jerusalém em 543. Pouco a pouco foi se transformando em comemoração local para, gradativamente, estender-se por todo Oriente e implantar-se em Constantinopla, entre os séculos VII e VIII. Contribuíram para isto alguns Patriarcas como Germano e Tarásios.

Embora não seja testificada pelo Evangelho, mas apenas embasada na Tradição viva da Igreja Primitiva, é celebrada com tanta piedade como as demais festas marianas do calendário litúrgico.

A Igreja, celebrando esta festa, não quer recordar a entrada de Maria no Templo, simplesmente como fato histórico, mas quer enaltecer, mais uma vez, as virtudes de Maria que são modelos a serem seguidos por todos nós cristãos.

A Apresentação de Maria no Templo nos apresenta dois Evangelhos ricos em significados: no Orthros, Maria declama seu "Magnificat" e, na Liturgia, Jesus visita Marta e Maria.

Reza a Tradição que Maria, ao ser apresentada, contava com três anos de idade; e desde então se doou a Deus de maneira plena, tornando-se disponível à sua vontade. Desde o início ela foi a "Serva do Senhor" (Lc 1,38) a quem amou e serviu com todas as forças.

Maria preparou-se desde pequena para "tornar-se ela própria "templo" do Altíssimo. O anjo Gabriel anunciou tal realidade dizendo: "Não temas Maria, pois encontraste graça aos olhos de Deus". E a sua resposta é um célebre poema que enaltece a humildade e destrona o orgulho.

A humildade, a simplicidade, a singeleza e a sinceridade são características freqüentes em uma criança. Maria foi apresentada portando estes atributos. O crescimento não destituiu esses predicados da Virgem de Nazaré, mas fê-los permanentes.

O silêncio de Maria e suas orações freqüentes acolhem a vontade de Deus com amor, pois produziu dedicação. Maria cooperou na obra da Redenção dando seu "Sim", não de maneira passiva, mas numa operosa atividade. O seu "Sim" foi mantido e acentuado em toda a vida, até mesmo no calvário onde, também ela, ofereceu seu Filho que se oferecia por nossa Salvação.

Escolhida para ser mãe, pôs-se a serviço e se declarou serva. O mundo está cansado de palavras, de gestos ruidosos. Maria faz. No silêncio, realiza aos poucos sua parte.

Maria é a nova Eva que gerou pelo seu "sim" o novo Adão. A primeira Eva foi a mulher do primeiro Adão e a ele prestava seus serviços como esposa dedicada, mas, porque fraca e desobediente, pecou. A Nova Eva é mãe do Novo Adão, que por amor e profundo respeito a Ele, doou-se por inteira; e porque fiel e obediente, trouxe ao mundo o perdão e a redenção. Onde havia abundado o pecado, pelo "Sim" de Maria a Graça superabundou .

Maria é modelo de fé adulta, esclarecida, consciente. Uma fé que enfrenta todas as dificuldades, sem duvidar da presença de Deus em sua vida.

A Festa da Entrada da Virgem Maria no Templo acontece um pouco antes da Natividade do Senhor. É um convite a uma mais profunda e esmerada preparação para que possamos viver este tempo de graça em plenitude.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

BÍBLIA – Bíblia de Jerusalém (Nona Edição Revista e Ampliada). São Paulo: Paulus, 2013.

[1] Manual de Serviços Divinos, Arcipreste D. Sokolof

 

Voltar à página anterior Topo da página  
NEWSIgreja Ortodoxa • Patriarcado Ecumênico • ArquidioceseBiblioteca • Sinaxe • Calendário Litúrgico
Galeria de Fotos
• IconostaseLinks • Canto Bizantino • Synaxarion • Sophia • Oratório • Livro de Visitas