Portal Ecclesia
A Igreja Ortodoxa Atualizações e notícias Seleção de textos Subsidios homiléticos para Domingos e Grandes Festas Calendário litúrgico bizantino Galeria de Fotos Seleção de ícones bizantinos Clique aqui para enviar-nos seu pedido de oração Links relacionados Clique para deixar sua mensagem em nosso livro de visitas Contate-nos
 
 
Biblioteca Ecclesia
 
 
 

Catecismo Breve

«Ortopráxis - maneiras de viver a Ortodoxia»

12. A Hierarquia Eclesiástica.

Cada região eclesiástica (diocese) tem seu bispo ou arcebispo. O episcopado é o grau máximo e pleno do sacerdócio, comum a todos os bispos, mesmo que sejam arcebispos, metropolitas ou patriarcas. Tais cargos ou funções não aumentam ou diminuem seu grau no sacerdócio.Todos são bispos.

Um grau abaixo do episcopado é o do presbítero ou sacerdote. Estes tomam à frente a vida da igreja nos monastérios ou nas paróquias urbanas ou rurais. Os sacerdotes são chamados "hieromonges" se são celibatários. Se são casados, podem ser "arciprestes" ou "protopresbíteros". O sacerdote principal de uma paróquia é chamado de pároco.

O grau menor do sacerdócio é diaconato. Os diáconos ajudam os bispos e os sacerdotes nos ofícios sacramentais, porém não os oficiam sem permissão do superior. Alguns diáconos recebem o título honorífico de "Protodiáconos".

Os monges, na ortodoxia, são chamados de "clero negro" por seu voto de castidade enquanto os sacerdotes casados pertencem ao "clero branco". Há três graus no estado monástico: riasofor (aquele que porta batina); mandia (skima menor) e skima (eskima maior). Os que participam do grau menor possuem apenas a batina riasa que é uma veste comum para o uso diário, longa e com mangas largas.

Os monges de "skima" menor e maior são, em geral, os grandes superiores, distintos dos outros pelos seus votos mais rígidos. Desde o século IV, a vida monástica na Igreja Ortodoxa permanece basicamente inalterada: os sistemas, hábitos, regras, serviços são os mesmos dos primeiros monges, sem inovações ou mudanças. Todos são servos de Deus e consagrados, mesmo o "hegúmeno", o superior do Mosteiro. Entre todos deve haver verdadeira fraternidade.

Todos os bispos são monges. Suas denominações provém da língua grega: "patriarca" significa "pai de todos"; "metropolita" significa "homem principal da cidade"; "bispo" significa "guardião" (da fé apostólica); "arcebispo" significa "pastor e guardião maior".

Os patriarcas e os metropolitas estão à frente de todas as organizações eclesiásticas nos países ortodoxos. Os bispos e arcebispos são seus representantes nas regiões administrativas eclesiásticas (dioceses). Os sacerdotes monges são chamados de "hieromonges"; o "hegumeno" é o abade de um mosteiro e o arquimandrita (do grego: chefe da sela) é o chefe de um mosteiro grande ou de uma pequena cidade de monges (Laura). Alguns monges recebem este título por seus serviços prestados à Igreja, neste caso, um título honorífico. O "hegúmeno" (do grego: o guia) é o pai espiritual de um mosteiro ou de uma igreja paroquial. Os hieromonges (monges-sacerdotes) que receberam o "skima", também são chamados de "hieroskimonges", "skigumem" ou "skiarquimandrita". Os monges que são diáconos são chamados de "hierodiáconos" e, os maiores, de "arquidiáconos."

A vida monástica Ortodoxa tem se mantido sem grandes mudanças desde os primeiros monges cristãos. As diversas etapas de consagração no serviço monástico não são graus hierárquicos de superioridade de um sobre o outro, mas de serviço e vocação. Todos são igualmente monges e dedicam sua vida ao serviço de Deus.

Voltar à página anterior Topo da página
NEWSIgreja Ortodoxa • Patriarcado Ecumênico • ArquidioceseBiblioteca • Sinaxe • Calendário Litúrgico
Galeria de Fotos
• IconostaseLinks • Synaxarion • Sophia • Oratório • Livro de Visitas